Tuesday, February 28, 2006

Pé Sujus -- Itaim paulista (Extremo leste da cidade de São paulo)




Banda formada em Abril/2004, No bairro do Itaim Paulista, Subúrbio da zona
leste de São Paulo.
Passou por várias formações, até chegar à atual.
Atualmente, o som da Pé Sujus é um Punk rock com várias influências do PUNK
77, mas sem perder seu objetivo: Protestar,Tomar Cerveja,Zoar, Protestar de
novo e passar a realidade do subúrbio e os problemas do brasil em suas
letras. E Protestar mais um pouquinho...




1- O speed zine faz um ano em Fevereiro ,como
vê este tipo de midia ganhando
cada vez mais espaço?
r : É sempre bom a mídia alternativa expandir seus horizontes, andando lado
a lado com o underground musical, pois só se consegue espaço e
reconhecimento após muito esforço e dedicação, acho que isso é fundamental
para a existência de um zine e de uma banda.E recomendo a vocês não deixar a
peteca cair, pois em quase dois anos o pé sujus já passou por cerca de 10
formações, sempre com dificuldades em manter um baterista,coisa que não é
como guitarrista, que há um em cada esquina.Longa vida ao Speed Zine!


2- Qual é a formação atual?
r : Até Abril nossa formação é:
Fernando Feio - vocal
César "putão" - Guitarra
Alcides "sid"- Baixo
André "chuck" - bateria

Estamos ensaiando com um novo baterista, pois recentemente o André anunciou
sua saída e a estréia do novo batera será em Abril, no mês de comemorações
de 2 anos da banda. O novo baterista é um camarada nosso , o Panda (nem eu
sei o nome dele hahaha).

3- Defina o que é uma banda ?
r: Não é apenas um grupo de jovens e inexperientes músicos querendo tocar em
tudo quanto é buraco e tocando em troca de qualquer coisa, nem um respeitado
grupo de veteranos músicos profissionais faturando os tubos em grandes
casas de show.
Independente do estilo e do status , cada banda é uma válvula de escape do
que cada um pensa e sente , e exprime isso pela música.
Daí a importância do conteúdo das letras, pois é muito ridículo na minha
opinião alguem cantando coisas sem sentido.
No caso, somos uma banda punk, as letras da banda são a marca registrada,
pois não fazemos apenas a música punk rock, fazemos parte do movimento punk
e passamos nossa mensagem subversiva nas letras sem nenhuma ressalva ou
cautela, pois não temos medo de críticas ou represálias pró-sistema, pois as
letras passam exatamene o que pensamos e sempre quisemos gritar. Daí a
importância de se formar uma banda: è sua própria imprensa, só fala o que vc
quer e o que vc acha que tem de ser ouvido.

4- Quais influencias da banda?
r: Já tivemos uma primeira fase mais hardcore, nosso baterista que gravou
nossa primeira demo não era punk, era thrash metal, daí aquela metralhadora
sonora de "proletário traído".Ali ouvíamos muito olho seco, dfc, wolfpack,
cólera, e unimos com alguns elementos de ska, como se pode ouvir em outras
músicas. Quando a baterista da segunda demo entrou, pisamos um pouco no
freio e experimentamos fazer algo mais "77", fórmula que deu certo e que
predominou em "proletário traído 2".Então está decidido que agora iremos
fazer mais a linha da segunda demo, algo influenciado por bandas
clássicas,como adicts, replicantes, ramones, dose brutal (influência
fortíssima), GG allin, dead kennedys, Bsb-H, excomungados e Sham 69, só pra
citar algumas...

5- O que é preciso para ter sucesso?
r: Esforço e dedicação, se bem que a gente não está nem aí pra sucesso...
Um sucesso que vale apena ter é o do respeito na cena e de um pessoal que
realmente curte e sabe curtir seu som, não aquela coisa mainstream de ser
manipulado por empresários e gravadoras que tomam posse da sua criatividade
e de ter sua música inteligente sendo apreciada por pessoas que cantam suas
letras da boca pra fora, pois interpretam a música simplesmente como uma
coisa vã como seus pensamentos e atitudes.
Após muita luta virá seu reconhecimento, mas as bandas devem ter muito
cuidado ao longo de sua trajetória, pois se você não for uma pessoa
dedicada, persistente e crente naquilo que faz, sua banda não dura nem um
ano...

6- Quais os projetos para 2006?
r: Estamos organizando junto com mais 5 bandas uma coletânea estilo "sub",
com bandas punks, daí estaremos organizando vários eventos por São Paulo
para angariar fundos para viabilizar essa coletânea, algo totalmente feito
na cooperação, totalmente independente.
DO IT YOURSELF!!!!!!!

7- Nos conte uma aventura da banda.
r: Não aconteceu grande coisa para relatarmos aqui, mas já tocamos em cada
lugar...
Uma vez tocamos em um rancho em Cidade Tiradentes.
Detalhe:Na avendida marcada no flyer estva o tal número do som, mas só
encontramos um desmanche e uma trilha de terra, pela qual seguimos.
Depois de 30 minutos mais ou menos a pé, depois de passar por currais, casas
de madeira com aqueles tiozinhos com a barba branca e chapéu de palha e
outras excentridades para um bairro da cidade mais urbana do Brasil,
chegamos ao verdadeiro lugar do som.
Ficava em frente a uma arena de vaquejada, e no palco estava escrito algo
como "Bem vindo a estação do forró".O bar estava sem torneira , estava um
calor de matar e a única fonte de água era uma bica que jorrava água com
gosto de sangue.
Tocamos pra uma platéia que era um misto de punks, tiozinhos sujos de lama e
crianças de cueca, foi um sarro, fora que a vaquejada rolava ao som de punk
rock!

8- O Rock ainda é uma filosofia de vida
ou esta manipulado pele midia ?
e como vc vê o Rock nacional?
r: Eu encaro o rock ainda como uma filosofia de vida, um estilo diferente,
pois quem curte de verdade ainda é visto como escória social e luta para o
verdadeiro rock não morrer. Mas também acho que está manipulado pela mídia,
se bem que ela não está dando muito espaço para o estilo, só resgata quando
vira moda, que é algo que anda em círculos.
Agora a molecada pira na pitty e no charlie brown, daqui a pouco serão
outras bandas, e quando uma banda se entrega para a mídia completamente,
quase sempre seu fim é decretado junto com o fim do sucesso.
Ou seja: A manipulação do rock pela mídia depende das bandas também.
Se você gosta mesmo de sua banda, a valoriza e acredita na sua arte, pense
duas vezes antes de assinar um contrato... ou tudo pode virar uma grande
MELECA!
Já o rock nacional tem seu futuro no underground, com talentos
desvalorizados do metal, punk, alternativo e alguns que seguem á risca das
raízes do rock, pois se o futuro do rock nacional depender desses emos e
charlie browns da vida, podem encomendar o caixão...

9- Onde tocaram e qual foi a reação do
publico?
r: Nunca tocamos em lugares importantes, mas vamos tocando em pequenos "rock
bars" e butecos própriamente ditos em festivais organizados pela própria
banda, conquistando e cativando um público fiel e caloroso, que vai onde nós
vamos.Isso é quando podem ir (risos).

10- Porque Pé Sujus ?
r: No bairro do Itaim paulista, (Extremo leste da cidade de São paulo) onde
a banda surgiu, há uns 10, 12 anos haviam gincanas de rua, com suas equipes
quase sempre com seus "QG's" em salões alugados e com carros para ajudar nas
competições.
Eis que um grupo de punk's e pé rapados, montam sem nenhum centavo no bolso
sua própria equipe: a equipe Pé Sujus.
Seu "QG" era um sofá abandonado num terreno baldio e as provas da gincana
eram feitos braçalmente.
E ainda conseguiram ganhar em uma edição, mas havia uma equipe formada por
playboys chamada "Metralhas" que inconformados em perder para um bando de pé
rapados sacaram seus revólveres e tiraram o título e o direito de participar
da gincana estadual da equipe Pé Sujus.
Duas tias minhas eram punk's e faziam parte da equipe, e quando eu estava
formando a banda e procurava um nome, achei-o em uma camisa velha que servia
de pano de chão.
Esse nome também é uma homenagem á velha guarda do Punk do bairro do itaim
paulista, que hoje em dia está em processo de proliferação de Skinheads.
E Pé Sujus é assim:
De que adianta ter tudo e não conseguir nada? Não temos nenhum instrumento
até hoje, mas temos respeito , consideração , duas demos gravadas e uma
participação no tributo ao excomungados.


11- Deixe alguma mensagem para quem
esta formando ou pensando
em formar uma banda de rock?
r: Se esforce, lute pra que sua banda dê certo e tenha estabilidade, lute
até as últimas consequências se você quer que sua banda exista por algum
tempo, pois muitas pedras te esperam no caminho e aí você vai ver se cai de
quatro ou levanta e chuta a pedra, mas que tropeçar você vai isso é certeza.
Cuidado com empresários, gravadoras e gente oportunista que só quer se dar
bem as custas do seu esforço, e no começo não deixe a banda em primeiro
plano, pois você ainda não é reconhecido o suficiente pra viver de música...
Sou meio suspeito pra falar isso pois estou nessa de bandas há apenas 2 anos
e vou me foder muito ainda nessa trajetória, mas dois anos é o suficiente
para você ter e passar aos outros suas experiências, por menores que sejam.


12- Reconsiderações finai?
r: Queria agradecer pela oportunidade de conceder essa entrevista, pois não
é todo dia que aparece uma oportunidade dessas pra uma banda de botecos que
toca no chão com aparelhagem precária!
Mas estamos aí pra isso, humildade em primeiro lugar.
Valeu Fernando!
Já pro pessoal que está lendo:
Se cuida!!!!!
Paz e anarquia!!
Abração do Feio em nome de toda família Pé Sujus!



Website ...
http://www.pesujus77.democlub.com/
(Release, Influencias, Mp3 e mais...)

Contato ...
(0xx11) 6562 - 0561 ou 9721 - 3840 (Fernando )
(0xx11)6568 - 8110 (Diego César )
(0xx11)6514 - 1977 (André)
(0xx11)9460 - 4030 (Alcides)
E-mail ...
fernando_sub@hotmail.com
antiiurd@gmail.com


Comunidades ...
Orkut:
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm%72784

Monday, February 27, 2006

Rock Show Brasil




Estados
- Acre
- Alagoas
- Amapá
- Amazonas
- Bahia
- Ceará
- Distrito Federal
- Espírito Santo
- Goiás
- Maranhão
- Mato Grosso
- Mato Grosso do Sul
- Minas Gerais
- Pará
- Paraíba
- Paraná
- Pernambuco
- Piauí
- Rio de Janeiro
- Rio Grande do Norte
- Rio Grande do Sul
- Rondônia
- Roraima
- Santa Catarina
- São Paulo
- Sergipe
- Tocantins

Estilos
- Black Metal
- Blues/Jazz Rock
- Cristão
- Crossover
- Dark Ambient
- Dark Metal
- Death Metal
- Doom Metal
- Emocore
- Folk/Country Alt/Rock
- Fusion Metal
- Garagem Rock
- Gótico
- Grindcore
- Groove
- Grunge
- Hard Rock
- Hardcore
- Heavy Metal
- Indie/Alternativo
- Industrial
- Metal Melódico
- Metalcore
- New Rock/Metal
- Pop Rock
- Power Metal
- ProgMetal
- Psychobilly
- Punk
- Punk Rock
- Rock & Roll
- Rock Clássico
- Rock Instrumental
- Rock Nacional
- Rock Progressivo
- Rockabilly
- Skate Music
- Stoner Metal
- Surf Music
- Thrash Metal
- White Metal
- Outros
Anúncio


Para anunciar, envie um e-mail para anuncio@rockshowbrasil.com


Cadastre sua banda

http://www.rockshowbrasil.com/cascara_sagrada.htm

Saturday, February 25, 2006

ENNE





O ENNE se formou em 2001, em Belo Horizonte / MG, com Jay (Guitarra e Vocal), Fred (Guitarra), Rafa (Baixo) e Cacau (Bateria). Durante 2 anos, ainda com o antigo nome, 4 SALE, a banda conseguiu reconhecimento na cena alternativa de Belo Horizonte.

Após 3 anos e 2 Cd’s demo, a banda gravou no período de abril a setembro de 2004, em Belo Horizonte, seu primeiro Cd completo chamado “Momentum” com 12 faixas, de forma independente. As músicas, todas compostas pelos integrantes, são cantadas em inglês, com letras verdadeiras e arranjos que alternam o peso e a melodia.

Em 2005, o disco começou a ser divulgado em shows por algumas cidades do país, como São Paulo, Araraquara, Ouro Preto e Rio de Janeiro, e conquista o reconhecimento de alguns críticos musicais.

Entretanto, grandes mudanças acontecem no ENNE. Além da saída do baixista Rafa e a conseqüente incorporação de Luciano, assumindo o posto, a banda começa a concentrar esforços na produção de letras em português, objetivando passar sua mensagem de forma coerente com a língua do país, mas sem alterar o estilo das composições.

Portanto, seguindo uma filosofia própria e não permitindo ser corrompida pela banalidade e plastificação que cobre parte do mercado musical mundial, o ENNE toca suas músicas com grande entusiasmo, apresentando características exclusivas e marcantes, tornando o show um momento de grande impacto.

Seria impossível descrever com palavras o que acontece quando a banda faz o seu primeiro acorde em cima de um palco. Portanto, ouça, veja e sinta.




O speed zine faz um ano em Fevereiro ,como
vê este tipo de midia ganhando
cada vez mais espaço?
r : Fundamental, toda a forma de divulgação da cultura independente, seja ela música ou qualquer outra forma de arte é extremamente válido.

2- Qual é a formação atual?
r : Jay - voz e guitarra
Fred - guitarra
Cacau - bateria
Luciano - baixo

3- Defina o que é uma banda ?
r: Banda é quando um número determinado de pessoas querem expressar seus sentimentos e ideais em comum através da música.

4- Quais influencias da banda?
r: Incubus, Silverchair, A Perfect Circle, Finger Eleven, Biffy Clyro, Diesel...

5- O que é preciso para ter sucesso?
r: Você tem que fazer o que gosta, isso é o mais importante.

6- Quais os projetos para 2006?
r: Tocar muito, principalmente fora de Minas Gerais, onde a banda reside. Planejo duas turnês.

7- Qual nos conte uma aventura da banda?
r: Ah, sei lá, hahah. Já tocamos em lugares insalubres, isso serve? Hhaha

8- O Rock ainda é uma filosofia de vida
ou esta manipulado pele midia ?
e como vc vê o Rock nacional?
r: Não só o rock, a música é uma filosofia, pois é uma arte. A mídia banaliza, ms o verdadeiro da arte e da música, nunca se perdem.

9- Onde tocaram e qual foi a reação do
publico?
r: A reação é sempre muito boa, principalmente em cidades onde nunca tocamos antes. Já tocamos em São Paulo, Araraquara/SP, Rio de Janeiro/RJ. Niterói/RJ, São Gonçalo/RJ, Goiânia/GO, Ouro Preto/MG, Vespasiano/MG, além de Belo Horizonte/MG.

10- Porque Enne?
r: Enne, na minha concepção, é como incógnita, algo como (x), mas é (n). Como é difícil rotular o som da banda, nada melhor que uma incógnita pra nomeá-la.

11- Deixe alguma mensagem para quem
esta formando ou pensando
em formar uma banda de rock?
r: Não desista, as dificuldades são enormes, mas se é isso que quer da sua vida, corra atrás e não desista.



12- Reconsiderações finais?
Obrigado pela oportunidade e pelo espaço.

www.enne.com.br
www.fotolog.com/enne_news
www.tramavirtual.com.br/enne

Tuesday, February 21, 2006

Profusão Sonora - RJ



A Profusão Sonora surgiu em 2004 no município de Belford Roxo, RJ.

Tiago Ferreira, fundador da banda, resolveu formá-la com amigos e assim tudo começou. Hoje a formação não é mais a original e ele conta com a colaboração dos seus primos Márcio e Diego, seu cunhado Tiago e seus amigos de infância Diogo e Anderson.

Com um estilo Rock, a banda tem como objetivo principal divulgar suas músicas próprias por meio de todas as vias de comunicação possíveis e sair da "casinha dos fundos" da Areia Branca.


As letras e músicas são de Tiago, Tico, Márcio e Roberta.
O primeiro cd demo da banda começou a ser gravado em julho de 2005 com a supervisão do experiente músico e proprietário do estúdio Daniel Rangel.
A banda segue dia-a-dia com recursos dos próprios integrantes e ainda não conta com nenhum tipo de patrocínio



1- O speed zine faz um ano em Fevereiro, como vê este tipo de midia ganhando cada vez mais espaço?
Achamos muito importante, a mídia é capaz de fazer uma banda estourar em um dia, mais não é todo mundo que tem acesso, isso até hoje. O quadro está mudando e as bandas estão começando a ter o poder de divulgação nas próprias mãos, por isso o cenário independente está ficando com um nível tão elevado.

2- Qual é a formação atual?
Diego ( Guitarra ), Tiago ( Guitarra ), Anderson ( Teclado ), Tico ( Baixo ), Diogo ( Bateria ), Márcio ( Vocal )

3- Defina o que é uma banda?
É um projeto de pessoas que amam o que fazem antes de mais nada, é querem apenas mostrar o seu trabalho com honestidade e simplicidade.

4- Quais influencias da banda?
A banda é composta por pessoas com criação musical muito diferenciada, então temos de tudo, exceto Funk e Pagode. Mas nada impede destes estilos serem aproveitados um dia.

5- O que é preciso para ter sucesso?
Criatividade, competência, dedicação, gostar do que está fazendo e um pouco de sorte ajuda, o famoso "Estar no lugar certo na hora certa e tocando para a pessoa certa".

6- Quais os projetos para 2006?
Manter uma agenda regular durante o ano, tocando em todos os eventos independentes do cenário carioca e gravar uma Demo de boa qualidade.

7- Qual nos conte uma aventura da banda?
Normalmente nossas aventuras são no retorno dos show e sempre com o mesmo cenários : "Carro cheio de equipamentos e chuva torrencial"

8- O Rock ainda é uma filosofia de vida ou esta manipulado pele midia ? e como vc vê o Rock nacional?
Sim, achamos que rock é uma filosofia de vida. A questão da mídia é complicada pensamos que a mídia usa o ator mais o ator também usa a mídia, entendemos que um depende muito do outro, o ator tem que ter bom censo, pois para a mídia o que vale é a grana.

Enxergamos o cenário do rock nacional bem miscigenado, o cenário está em alta com o público crescendo, mais a qualidade está caindo, muitas bandas se copiando e com pouca capacidade de se recriar, ai acaba abrindo espaço para as bandas antigas subirem e na nossa opinião é o está mantendo a qualidade do cenário, então temos bandas com grande poder comercial e as antigas com um trabalho sólido de longa data, e temos também as bandas independentes que estão bem dividas, umas seguindo o rastro da mídia e se espelhado nas bandas de 15 minutos de fama, e outras tentando se solidificar no mercado com um som mais honesto.

9- Onde tocaram e qual foi a reação do publico?
Como famos antes, estamos buscando espaços no eventos voltados para bandas "alternativas", Em 2006 tocamos no Entropia convida, duas vezes, e no Festival Rolando Bandas na Estrada e nosso próximo show é dia 10 de Março. Nossas Músicas Foram Executadas algumas vezes no Programa Espaço livre da Rádio Tribuna também.

A recepção do público foi muito boa, e para nós isso contou muito, uma vez que a platéia era formada em boa parte por outros músicos, logo nosso som agrada até os mais exigentes.

10- Porque Profusão Sonora?
Porque quer dizer superabundância de sons, como temos muitas influências dentro da banda, o nome caiu muito bem...


11- Deixe alguma mensagem para quem esta formando ou pensando em formar uma banda de rock?
O que temos a Dizer é: Façam por que realmente gostam de fazer e não para entrar na moda, façam músicas próprias pois é nelas que você vai se sentir músico de verdade e não tenha medo de mostra as suas músicas para o público.

Uma frase para quem está começando: "Honestidade, sinceridade e paixão são a base. O sucesso é mera conseqüência"

12- Reconsiderações finais?
Respeitar para ser respeitado, este é o lema. De nada vale ser um excelente músico se você não respeita os outros.

Somente a união das bandas vai fazer crescer o movimento Rock no Brasil outra vez. Não temos que nos degladiar para ver qual é a melhor ou pior banda, temos que nos unir e mostrar para o mundo tudo aquilo que temos a dizer.

Saiba mais sobre a banda em:

Profusão Sonora
www.profusaosonora.com
www.bandasdegaragem.com.br/profusaosonora
www.fotolog.com/profusaosonora
www.tramavirtual.com.br/profusao_sonora
e Procure por profusão Sonora nas comunidades do Orkut

Sunday, February 12, 2006

Mindflow



O prog rock do Mindflow nasceu em1999 com a proposta de criar músicas tecnicamente complexas mas acessíveis para todos. Ligado a todos os tipos de expressões artísticas, desde literatura até artes plásticas, a banda consegue projetar um filme a partir de sua trilha sonora.

- “Nós tentamos ativar memórias e sentimentos através do som, o que transforma a nossa música em um quadro com cores e contrastes”.

Muitas bandas clássicas inspiram Mindflow: Rush, Yes, Dream Theater, Pink Floyd, Megadeth.

A energia emanada pela banda pode ser sentida através de riffs pesados com traços de música eletrônica como na forte “Meeting her eyes”, a simplicidade e o sentimento evidentes em “Invisible Messages” e “Touch of immortality”.

”Profissionalismo e talento. No existe melhor combinação para uma banda mostrar seu “debut”. Tenho certeza que não será nenhuma surpresa o impacto que Mindflow causará quando seu álbum chegue nas mãos dos ouvintes mais exigentes. Um disco muito bem balanceado com uma excelente produção, trabalhando com perfeição técnica, musicalidade e harmonia”. - Aquiles Priester - ANGRA



Resenha:
Embora não seja o estilo que eu costumo ouvir/tocar, decidi não passar este cd do Mindflow para nenhum dos outros colaboradores do site, então é claro, vou eu mesmo resenhar este cd pois a banda merece meu reconhecimento...
A Mindflow é uma banda de “rock progressivo”, quem uma banda para tirar idéia? Claro, Dream Theater! Aqui estou resenhando “Just Two of Us... Me and Them”, um álbum repleto de qualidades. A parte gráfica nem preciso dizer muita coisa pois tem um encarte um tanto “bonito”, com cores realmente bem escolhidas, letras, foto da banda e contatos. Ao todo são 16 (isso mesmo! dezesseis músicas!!!) totalizando 1 hora, 9 minutos e 42 segundos de música “quebrada pra caramba”, sabe aquelas batidas “invertidas”, pois é, a banda tem técnica de sobra para já ter feito parte dos grandes festivais de “Prog” do exterior, para que se possa ter idéia do que estou falando, eles fizeram uma “mini-tour” na Espanha, estão com datas marcadas no Brasil e se não me engano, tem data para tocar na Coréia do Sul em agosto... Quer mais? Bem, a banda tem seu cd sendo distribuído em mais de 40 países, o mesmo foi considerado o melhor álbum de rock progressivo de todos os tempos, recebeu nota máxima no site ProgPower (www.progpower.com), 5 estrelas na Bélgica, considerado um dos melhores álbuns de Prog. de todos os tempos nos Estados Unidos (www.wisemenpromotions.com) e por aí vai. A banda é repleta de qualidades e elogios e claro que eu não poderia ser diferente, a banda é realmente muito boa. Um ponto que eu considero mais forte de que por exemplo o Dream Theather, a parte de vocais. James LaBrie que me perdoe mas, Danilo Herbert tem um vocal do tipo que eu acho que falte para o “D.T.”. Danilo tem heavy metal em sua voz, não consigo agora me aventurar e dizer com qual banda poderia ser comparado mas, com certeza, para mim, é mais agradável que o vocal de James LaBrie quando “força” a voz. A banda tem diversos experimentos e não tem como, EU não consigo fugir da comparação, a banda também possui “ótimas baladas” com vários experimentos musicais misturados. Alguma coisa eu até confesso que não gostei, como é no caso da faixa 10 aonde tem um efeito que eu achei horrível no vocal... na verdade, desnecessário! De resto, parabéns a Mindflow! Que continuem desbravando o mercado mundial e claro, esperamos que sempre levem o Brasil no peito, não esqueçam da nossa bandeira na bagagem porque aqui é “nossa casa”! Primeiro de tudo, orgulho de onde surgiu a banda!

Discografia: “Just the Two of Us... Me and Them” (2004)

Resenha por Rodrigo Sardi & Metal Attack – Metal Magazine Online
E-mail: rodrigo@metalattack.com.br
http://www.metalattack.com.br/


Respostas por Ricardo Winandy


1- O speed zine faz um ano em Fevereiro ,como
vê este tipo de midia ganhando
cada vez mais espaço?
r : Acho muito importante como forma das bandas poderem mostrar seus trabalhos, idéias e ideais através de um meio alternativo, sem necessitar recorrer à grande mídia, tradicional, e com um alcance amplo.

2- Qual é a formação atual?
r : Bom, o Mindflow conta com cinco integrantes, todos de sua formação original. No vocal é o Danilo Herbert, na bateria, Rafael Pensado, no Teclado, Miguel Spada, Guitarras, Rodrigo Hidalgo e Ricardo Winandy no Baixo.

3- Defina o que é uma banda ?
r: Banda é uma união entre cinco mentes diferentes, cada uma disposta a compartilhar suas idéias, e elas juntas formam um indivíduo único, completo. No nosso caso, é o Mindflow.

4- Quais influencias da banda?
r: O Mindflow é influenciado por todos os estilos de arte, do cinema às artes plásticas, e até por sons e situações do cotidiano de um ser comum. Mas algumas bandas que fizeram parte de nossa vida também servem de inspiração, como o Megadeth, Pink Floyd, Black Sabbath, Rush e Yes.

5- O que é preciso para ter sucesso?
r: Sobretudo, acreditar no que faz e se expressar de forma sincera, natural, demonstrando em seu trabalho o que você realmente pensa e gosta, não se deixando levar pelos limites que nós mesmo nos colocamos.

6- Quais os projetos para 2006?
r: Estaremos lançando nosso segundo CD, que acabou de ser gravado e mixado em dezembro, masterizado em janeiro e já está pronto! Gostamos muito do resultado final, após um ano e meio de composição ficamos muito satisfeitos com a variedade e conteúdo desse trabalho. Esperamos poder mostrá-lo ao maior número de pessoas possível nesse ano.

7- Qual nos conte uma aventura da banda?
r: Em agosto de 2005 fizemos uma turnê pela Coréia do Sul. Tínhamos antes disso feito versões de duas músicas de um seriado conhecido por lá, o Winter Sonata, e essas foram lançadas num box especial no país. Para os shows, preparamos uma dessas músicas em que o Danilo cantava na língua do país, apesar de não ter idéia do que estava falando. Logo após um dos shows resolvemos ir para um parque de diversões e lá estava tendo um karaokê, como uma competição mesmo em que o público votava nos cantores. O Danilo resolveu participar, e, se não bastasse a surpresa de ter um ocidental no palco, ele cantou em coreano para o espanto de todos! Acabou ganhando a competição, e um ingresso para o parque.

8- O Rock ainda é uma filosofia de vida
ou esta manipulado pela midia ?
e como vc vê o Rock nacional?
r: O rock sempre será uma filosofia de vida, e fico feliz de ver que cada vez mais ele está recebendo apoio da mídia, ajudando a divulgar essa filosofia para todos. O rock nacional conta com muitos talentos que nem sempre são bem aproveitados, apesar de gerar frutos muito bons como o Titãs e Paralamas do Sucesso.

9- Onde tocaram e qual foi a reação do
publico?
r: Nossa primeira turnê fora do Brasil foi na Espanha, em 2004, e foi muito esquisito ver que, tão longe, o pessoal conhecia nossas músicas e até cantava junto! A reação do público em geral foi muito boa em todos os shows, e eles demonstraram um interesse muito grande pela cultura de nosso país e uma curiosidade com relação ao trabalho que é desenvolvido aqui.

10- Porque Mindflow ?
r: Ainda quando éramos uma banda instrumental e adotávamos outro nome, tínhamos uma música chama “When Mind Flows” e que refletia muito bem o que ela representava, um fluxo de idéias e sentimentos. Por fim, mostrou representar também o espírito da banda e resolvemos então, com a formação completa, usar esse nome. Mindflow é o que fazemos e apareceu de forma natural para nos denominar.

11- Deixe alguma mensagem para quem
esta formando ou pensando
em formar uma banda de rock?
r: Vai fundo, que vale a pena. Nada melhor do que criar algo novo, que você acredite, com pessoas que você também acredita e se esforçar para mostrar isso da melhor forma possível.

12- Reconsiderações finais?
r: LET YOUR MINDFLOW...

http://www.mindflow.com.br/

Monday, February 06, 2006

BdG Bandas de Garagem

Entrevista com o site bandas de Garagem (BdG)


1 - Como nasceu o BdG , quem criou ?
>
R: A idéia surgiu da necessidade de ter um site com conteúdo específico de
> bandas independentes e não somente uma geleria de bandas ou um montuado de bandas sem nenhum destaque. Definido o objetivo, focamos a construção de um site com mais detalhes e interação por parte das bandas e dos próprios fãs - assim surgiu o Bandas de Garagem, um site totalmente
> independente sem nenhum vínculo com nenhuma gravadora, um garimpo livre
> para todos os apaixonados por música.
>
> O site foi lançado em meados de março de 2004 pelos seus fundadores Bruno Paz e Livio Mathias ambos com a mesma pretensão, fazer com que as bandas sonhem melhor em obter o seu sucesso.
>
> 2- Quantas bandas estão cadastradas no site?
R: Temos mais de 2500 bandas e todas possuem pelo menos uma
> música. Isto difere de tantos outros sites que visam apenas números e não qualidade de conteúdo.
>
> 3- Vai ter um Festival das bandas do site?
R: Esperamos que sim, buscamos um apoio de todos para que essa etapa seja
> concretizada. A vontade não falta, queremos organizar um festival
> diferente de tudo que já foi produzido, algo que seja um novo parâmetro
> para todos os outros. Nos aguardem!
>
> 4-Porque o BdG trocou o regulamento do Top Band ?
R: Queremos ser os mais justos possíveis. No ranking antigo os
> pontos eram acumulativos, dessa maneira a vantagem era sempre para as bandas veteranas do site, dificultando para as bandas recentes. Agora,
> toda semana a banda tem que buscar seu espaço e todos tem as
> mesmas chances de ficar no topo.
>
> 5-O que o Souza lima trouxe para o BdG ?
R:A parceria é recente mais a vontade de possuir um parceiro forte é
> velha. Em breve teremos muitas novidades para as bandas, como promoções, programas apresentados por pessoas do meio e nosso conteúdo terá um
> dedinho da Souza Lima que nos fornecerá material enriquecido com a
> qualidade dos seus professores. Fiquem ligados!
>
> 6 - Rádio da Garagem, como BdG seleciona as bandas?
R: Assim que aprovadas, as músicas das bandas já estarão
> disponíveis na rádio. O nosso sistema sorteia em média 30 músicas para a playlist, então a cada reload da rádio outras 30 músicas são sorteadas novamente.


www.bandasdegaragem.com.br

Sunday, February 05, 2006

Dynahead



Por meio de um anúncio na Internet, Caio Duarte encontra o guitarrista Victor H. Schmidlin, que se interessa em formar um projeto descompromissado com os amigos Diego Teixeira e Rodrigo Costa. Assim, no outono de 2004, surgia na capital brasileira a banda Dynahead.

Com uma proposta calcada em uma furiosa diversidade, os músicos iniciam sua interação com covers de “monstros” do heavy, como Bruce Dickinson, Queensrÿche e Nevermore, passando a compor músicas logo na sequência.


Victor H. Schmidlin Guitarra

Caio Duarte Vocal

Diego Teixeira Baixo

Rafael Dantas Bateria

Diogo Mafra Guitarra


1- O Speed Zine faz um ano em Fevereiro. Como você vê este tipo de mídia ganhando cada vez mais espaço?

r : Este, assim como qualquer tipo de manifestação underground é fundamental para manter a cultura musical viva, de forma independente à grande mídia. O underground é uma resposta autêntica e intelectual da cultura alternativa contra o mainstream, contra a plastificação dos valores e a massificação dos pensamentos, e é bom vê-lo vivo e forte.



2- Qual é a formação atual do Dynahead?

r : Caio Duarte nos vocais, Victor H. Schmidlin e Diogo Mafra nas 7 cordas, Diego Teixeira no baixo e Rafael Dantas na bateria.



3- Defina o que é uma banda ?

r: Uma união de músicos que tem algo a dizer.



4- Quais as influências da banda?

r: Principalmente o som pesado produzido nos últimos trinta anos. Ouvimos muito nomes como Sepultura, Nevermore, Dream Theater e Queensryche, mas felizmente a nossa gama de influências permite que abracemos sons que
vão do clássico ao hard rock.



5- O que é preciso para ter sucesso?

r: Creio que seriedade, paixão pelo que faz e um grande respeito ao público.



6- Quais os projetos para 2006?

r: Iremos gravar nosso primeiro disco full-lenght, e se tudo der certo faremos muitos shows de divulgação.



7- Nos conte uma aventura da banda.

r: Quase sempre acontecem aventuras interessantes, afinal, vida de músico independente é necessariamente uma aventura, não? Certa vez aparecemos na Rede Globo para divulgar um show. Concederíamos uma entrevista e logo em seguida começaríamos a tocar, mas nosso ex-baterista entrou exatamente na hora em que a repórter ia anunciar a data e local do show! Enquanto fazíamos barulho ela elevava a voz tentando anunciar, mas no final não conseguiu e o show acabou não sendo divulgado. Foi bastante constrangedor, mas depois rimos bastante disso, principalmente após vermos o videotape.



8- O Rock ainda é uma filosofia de vida ou está manipulado pela mídia? E como você vê o Rock nacional?

r: Creio que existem dois Rocks: aquele que é uma opção de vida e aquele que é uma mercadoria. Infelizmente existe uma grande quantidade de bandas enlatadas que chamam a atenção do grande público pelo apoio que recebem da grande mídia, mas é confortante ver que ainda existem aqueles que fazem Rock por amor e por que realmente tem algo a dizer.



9- Onde tocaram e qual foi a reação do público?

r: Fizemos diversos shows em nossa cena local, em festivais como Porão do Rock e Palco da Árvore, sempre com um público maravilhoso. É fantástico que as pessoas ainda assistam a um show não pela produção ou pelo marketing, mas por amor à música e para apoiar os artistas nacionais.



10- Porque Dynahead?

r: Este nome surgiu de um jogo de palavras, onde quisemos dar uma idéia de liberdade de pensamento, dando margem para o receptor entender a mensagem como quiser.



11- Deixe alguma mensagem para quem está formando ou pensando em formar uma banda de rock?

r: Força, humildade e
seriedade. O resto é o bom e velho Rock N’ Roll.



12- Considerações finais?
r: Gostaríamos de mandar um grande abraço a todos aqueles que nos apóiam e a todos os envolvidos com nossa cena. Quem quiser saber mais sobre nós, ouvir algumas das músicas que estarão em nosso disco que gravaremos este ano, ou entrar em contato, basta acessar o site www.dynahead.com.br. See you in the road!

Featured Post

Cáscara Sagrada Activity Statistics

Banda Cáscara Sagrada ...